8 dicas para melhorar a venda de seguros para o varejo

A importância de não depender de apenas um tipo de venda
Segurança financeira para e-commerce: importância de não depender de apenas um tipo de venda
6 de novembro de 2018
Veja por que usar um chatbot em seu e-commerce
Veja por que usar um chatbot em seu e-commerce
6 de novembro de 2018
8 dicas para melhorar a venda de seguros para o varejo

A venda de seguros massificados tem aumentado no mercado brasileiro. Com o varejo oferecendo opções diretas para os clientes finais, eles precisam adquirir elementos adequados, com boa qualidade e que atendam aos seus interesses. Com isso, a venda de seguros para o varejo vem se tornando uma possibilidade cada vez mais interessante.

Ao mesmo tempo, é preciso buscar soluções para melhorar esse processo, inclusive usando a transformação digital. Assim, é viável obter o máximo de rentabilidade e retorno, de forma a consolidar uma atuação de sucesso e qualidade.

Nesse aspecto, há alguns pontos que precisam ser compreendidos. Conheça, a seguir, 8 dicas para colocar em prática a fim de melhorar a venda de seguros para o varejo. Acompanhe!

1. Explore as necessidades quanto à venda de seguros para o varejo

Para dar início ao processo de vendas de forma estratégica, é preciso começar explorando as exigências dos clientes varejistas. É importante compreender, por exemplo, qual é o tipo de cobertura que faz sentido para cada caso.

Uma loja de eletrodomésticos provavelmente estará mais interessada em oferecer a garantia estendida para os compradores. Outras podem recorrer a opções como seguros de vida e com a cobertura de riscos diferenciados.

Para melhorar a atuação, portanto, é interessante entender quais são essas necessidades e interesses, de modo a realizar ofertas adequadas.

2. Entenda a jornada digital do cliente

As compras online são cada vez mais comuns e isso acontece até mesmo em relação aos seguros. Empresas podem buscar opções massificadas online, com o fechamento das vendas sendo a única etapa que é feita presencialmente, por exemplo.

Portanto, é indispensável compreender como ocorre a jornada digital do cliente. Nesse caso, é importante visualizar questões como a busca de informações de quem compra. Em geral, os consumidores procuram se inteirar sobre o tema, então pode valer a pena contar com uma produção de conteúdo relevante.

Boa parte dos tomadores de decisão também estão nas redes sociais. Sendo assim, é preciso marcar presença nesses canais, de modo a garantir o máximo de interação e aproveitamento das oportunidades.

Ao compreender o caminho que o consumidor percorre, portanto, é possível agir com maior efetividade, conquistando as vendas.

3. Foque em oferecer conveniência e segurança

Para que a jornada digital seja concluída corretamente, é fundamental que os clientes possam contar com dois aspectos principais: segurança e conveniência. O primeiro elemento é indispensável para garantir uma atuação consistente e que proteja dados e recursos financeiros.

Já o aspecto voltado para a conveniência traz praticidade e aumenta a facilidade de aquisição da solução. Ter elementos que oferecem uma boa experiência de usuário é algo adequado nesse sentido, de modo a ampliar as chances de realizar a venda de seguros para o varejo.

Tais questões contribuem para uma abordagem ainda melhor, diminuindo os esforços necessários para fechar negócio.

4. Utilize a automação de atendimento inicial

Outro recurso que pode e deve ser empregado tem a ver com o primeiro contato com o possível cliente. Uma vez que o varejista entra no site em busca de informações sobre seguros, por exemplo, é importante que haja uma interação já nesse ponto.

Para não ser necessário ampliar a infraestrutura e a equipe, o ideal é fazer uma automação do atendimento. O uso de chatbots é especialmente recomendado nesse momento, permitindo que o cliente tire dúvidas e solicite determinadas informações.

Além de tudo, é uma forma de entender melhor as exigências de quem chega até o site, bem como de fortalecer o contato inicial.

5. Segmente a atuação para vendas

Com a coleta de informações iniciais sobre as necessidades, é adequado realizar uma segmentação de abordagem. Isso significa dividir o mercado em grupos, de acordo com determinadas características, como área de atuação do varejo ou interesses.

A grande vantagem de fazer isso é que as ações se tornam efetivas e direcionadas. Desse modo, há um melhor aproveitamento das oportunidades, gerando maiores chances de consolidar a venda de seguros para o varejo.

Além disso, o trabalho segmentado exige menos esforços e acelera o processo, trazendo ótimo aproveitamento de recursos.

6. Aproveite o retargeting

Em muitos casos, ainda mais digitalmente, é comum que os decisores sobre a compra precisem pensar sobre a etapa. Ao adquirir seguros massificados, o empreendimento fará um grande investimento e, por isso, precisa ponderar.

Porém, toda navegação deixa rastros. Mesmo que uma pessoa não forneça dados específicos, de maneira propriamente dita, ela pode ser identificada. Com isso, uma ótima possibilidade é realizar o retargeting.

Essa abordagem consiste em apresentar ofertas e páginas já visitadas por uma pessoa em outros espaços publicitários, como nas redes sociais e em banners em outros sites. Como o usuário já conhece o seu site, trata-se de algo que pode estimulá-lo a fechar negócio mais rapidamente.

7. Não se esqueça das regras estabelecidas por lei

Ao mesmo tempo, é fundamental que tudo aconteça de maneira legal. Quando se fala em seguros, algumas das regulamentações são recentes, então é necessário ficar de olho nesse ponto.

A venda casada, por exemplo, não é permitida, tanto para o varejo quanto para o cliente final. Portanto, é importante orientar os varejistas sobre isso e criar pacotes que não levem a essa questão.

Também é necessário ter atenção com a oferta de seguros registrados e autorizados, permitindo que haja total regularização quanto a essa atividade.

8. Realize um pós-vendas de qualidade

Para garantir o máximo de satisfação, fidelização e boas recomendações por parte dos clientes, o processo não acaba quando o negócio é fechado. É preciso ir além, oferecendo uma experiência condizente e que favoreça o sucesso.

Sendo assim, é necessário estruturar um pós-vendas. Ele deve incluir uma atuação consultiva, em que os varejistas possam recorrer à empresa em busca de suporte e orientação sobre como usar os produtos de seguro corretamente.

Também é importante estar disponível para realizar um acompanhamento, oferecendo todo o apoio necessário para que o cliente atinja seus objetivos. Ao agir dessa forma, a abordagem se torna muito mais consistente e satisfatória, estimulando a conclusão de novas conversões no futuro.

O uso dessas orientações favorece a venda de seguros para o varejo, simplificando o processo e aumentando o seu retorno. Com planejamento e atuação personalizada, os resultados tendem a ser ainda melhores.

E aí, as informações foram úteis? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a entenderem o assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *